Câmara Dos Deputados Celebrou O Dia Mundial Da Saúde Debatendo Formas De Combate Às Doenças Transmitidas Pelo Aedes Aegypti | Odorico Monteiro
7 de abril de 2016

Câmara Dos Deputados Celebrou O Dia Mundial Da Saúde Debatendo Formas De Combate Às Doenças Transmitidas Pelo Aedes Aegypti

FullSizeRender

O Plenário da Câmara dos Deputados realizou nesta quinta-feira (7), Comissão Geral, com a participação de especialistas e de representantes da sociedade civil, para discutir formas de combate às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti (dengue, febre chikungunya e zika). O ato ocorreu como forma de celebrar o Dia Mundial da Saúde e alertar a sociedade sobre os riscos que corremos com a atual epidemia.

O pedido para a realização do encontro foi feito pela deputada Luiza Erundina (Psol-SP) e teve o deputado Odorico Monteiro (Pros-CE) como integrante da mesa. Odorico é presidente da Frente Parlamentar da Dengue e da Inovação Tecnológica no Enfrentamento às Arboviroses. “Importante colocar aqui todo o esforço interfederativo que o Brasil tem feito para combater o mosquito e os protocolos de saúde pública dispostos nas unidades de saúde pública para o tratamento mais célere e adequado. Além do Estado, precisamos reforçar a importância do constante envolvimento da população nesta luta preventiva contra o mosquito. No âmbito da inovação tecnológica, a presidenta Dilma liberou quase R$ 2 bi para investimentos em tecnologias na prevenção e combate as doenças associadas ao Aedes”, pontua.

Para a deputada Luiza Erundina, a luta precisa ser coletiva, independente de posições políticas, ou tipo de representação social. “É importante que a sociedade acompanhe essa comissão geral, se engaje nesta luta, que é suprapartidária e extrapola qualquer ambiente ou estrato social. Precisamos enfrentar esse mal tão agudo e com ainda pouco conhecimento por parte da ciência médica”, declarou.

O evento contou com a participação de entidades relevantes para a causa como o Conselho Nacional de Saúde (CNS), a Abrasco e o Ministério da Saúde. Para o presidente do CNS, Ronald Santos, a causa da saúde pública é coletiva e requer o envolvimento da sociedade na defesa das suas bandeiras. “O Conselho tem se colocado à disposição para as lutas e as bandeiras da saúde pública. Pelo consistente financiamento da saúde pública e pela firme defesa do Sistema Único de Saúde. Também estamos firmes na luta pela defesa do Estado Democrático de Direito. A democracia é irmã gêmea do SUS. As lutas são inseparáveis e nela estaremos até a vitória”, declara.

Deputado Odorico aproveitou para também resgatar o processo histórico da saúde pública e faze a defesa do SUS. “A saúde pública como é abordada hoje é fruto de idealizadores europeus que, no passado, entenderam que a propriedade do trabalhador é o seu próprio corpo, e, por isso, ele deveria ter saúde para produzir e ter seu próprio bem-estar. Foi uma franca conquista dos trabalhadores. No decorrer do século XX, o Brasil foi saindo da lógica individual da saúde para uma abordagem coletiva de fazer saúde. Após o importante movimento da Reforma Sanitária criamos o SUS que, de fato, elevou o cuidado com a população brasileira, de todos os estratos, principalmente os que mais precisam. Importante também destacar que saúde é tema central e que os governos Lula e Dilma, ao trazer benefício direto aos pobres como o Luz para todos, o Bolsa Família e a retirada de 40 milhões de brasileiros da linha da pobreza, a saúde é pertencente desse processo de melhoria e evolução. Sem contar os mais de 60 milhões de brasileiros que passaram a ter atendimento digno com o programa Mais Médicos”, finaliza.

 

Comentários