Por uma nova cultura política | Odorico Monteiro
16 de março de 2015

Por uma nova cultura política

O Brasil vive um momento em que pulsa sua jovem democracia. O povo clama por uma nova cultura política. Mecanismos que garantam a participação efetiva dos cidadãos nas decisões e rumos do país. Que honrem e façam valer os princípios da Constituição.

Com uma Legislação adequada à realidade que experimentamos nestes 30 anos de retomada da vida democrática, é possível criar instrumentos que possibilitem ao eleitor votar em propostas voltadas ao bem comum e não em demandas que usam a maquiagem do interesse público.

 

O ideal seria a convocação de uma Assembleia Constituinte exclusiva para proporcionar um ambiente político dissociado da rotina dos parlamentares. Mesmo fazendo parte da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa a proposta que trata da Reforma Política, é importante deixar claro essa defesa.

 

Imprescindível, portanto, que esta Comissão dê andamento aos trabalhos da forma mais isenta e responsável possível, para evitar que seja taxada de legislar em causa própria e caia no descrédito. Assim estamos trabalhando no fortalecimento do debate sobre as questões cruciais deste projeto, e o financiamento público de campanha é uma delas.

 

É fato que o atual modelo é a raiz da corrupção. Favorece candidatos com poder econômico, conseguido na troca de favores que geram uma “fatura” pós-eleição. Neste debate, o fortalecimento dos partidos é crucial para ecoar as bandeiras levantadas pelos movimentos sociais, afastando atuação personalista ou meramente corporativa. Necessário ir além e dar voz e vez à participação popular. Ouvir o recado que vem das ruas e clama pelo fim da corrupção.

 

Uma nova cultura política passa pela mudança das relações de poder desde o processo eleitoral. Com igual oportunidade para todos, os candidatos terão que mudar a estratégia de compra de votos financiada pela elite econômica, para a conquista dos eleitores baseada no que eles de fato podem fazer para melhorar suas vidas.

 

Igualdade também deve ser garantida quando se fala na participação das mulheres na Política. Defendemos a atuação real das mulheres em todas as instâncias! Que ocupem, por lei, 50% das cadeiras do Poder Legislativo!

 

A sociedade precisa recuperar a credibilidade e a confiança em seus representantes e o desafio está posto! Há consenso no diagnóstico, que haja coerência na terapêutica!

 

 

*Luiz Odorico Monteiro de Andrade é médico, professor e deputado federal pelo PT Ceará.

Comentários